Como o Muçulmano Deve Jurar

Discussion in 'Português - Portuguese' started by ChebbaTan, Aug 16, 2010.

  1. ChebbaTan
    Offline

    ChebbaTan Junior Member

    Joined:
    May 2, 2009
    Messages:
    43
    Likes Received:
    1
    Trophy Points:
    0
    Gender:
    Female
    Location:
    Portugal
    Ratings Received:
    +1 / 0
    Bismillahir Rahmaanir Raheem,

    Assalamu Aleikum Wa Rahmatullahi Wa Barakatuhu,

    Achei interessante e pertinente o tema do artigo que segue, pois muitas vezes ouvimos opiniões infundadas ou mal fundamentadas de pessoas cuja responsabilidade é transmitir correctamente o ilm, e este assunto pode até para alguns parecer trivial mas a sua importância é tremenda. InshaAllah nos beneficie a todos. Que Allah nos perdoe as nossas falhas, e nos guie continuamente à Sua senda recta, Ameen.



    Fonte: http://www.sautulisslam.com/templates/revistas/edicoes/edicao_20/p_como_o_muculmano_deve_jurar.htm

    Como o Muçulmano Deve Jurar
    Maulana Ebrahim Makda

    Al-Yamin, significa jurar em nome de ALLAH ou através dos Seus atributos, como por exemplo, Wal-láhi lá-af alanna kazá (por ALLAH, certamente que farei assim...) ou Wal’lazi nafssi biyadihi (por Aquele que controla a minha vida nas Suas Mãos).
    O juramento é uma “promessa” para com ALLAH, que deve ser cumprida em conformidade com as directivas Divinas. A quebra do juramento sem razões plausíveis é um pecado extremamente grave. Por isso, o muçulmano deve possuir conhecimento acerca dos requisitos e pormenores relacionados com esta matéria.


    REGRAS DE JURAMENTO


    É permitido jurar em nome de ALLAH, pois o Profeta (SAW) jurou dizendo: “Juro por ALLAH, além do qual não existe outra Divindade”. Ele também jurou assim: “Juro por Ele, em cujas mãos está a vida de Muhammad”. O anjo Jibraíl (AS) também jurou pela Honra de ALLAH.
    Não é permitido jurar por qualquer outro ser, objecto ou nome além de ALLAH e dos Seus atributos, quer seja algo honrado ou santificado, como por exemplo, jurar em nome do sagrado Kaãba ou em nome de um profeta. Certa vez, quando o Profeta (SAW) ouviu Sayidina Umar (RTA) a jurar pelo seu pai, disse-lhe: “ALLAH proíbe-vos de jurar pelos vossos pais. Quem jurar, que jure por ALLAH ou se mantenha calado”.

    [Al-Bukhari e Musslim]


    E segundo outra afirmação do Profeta (SAW): “Aquele que jurou por outro além de ALLAH, cometeu Shirk".

    [Ahmad]

    Consta ainda: “Aquele que jurou por outro além de ALLAH, cometeu Kufr”.

    [Abu Dawud]


    TIPOS DE JURAMENTO



    1. Gamuss
    É prestar deliberadamente um falso juramento, como por exemplo, dizer “juro por ALLAH que comprei isto por 50.000 MT”, quando na verdade não comprou por esse preço, ou dizer “juro por ALLAH que fiz assim”, enquanto não fez desse modo.
    Este tipo de juramento é expressamente proibido (Harám), segundo a afirmação do Profeta (SAW) que disse: “Aquele que jurou falsamente com o intuito de usurpar os bens do irmão muçulmano, ele encontrará ALLAH em estado de fúria.”

    [Al-Bukhari e Muslim]



    Embora não haja qualquer tipo de expiação para este tipo de juramento, ser-lhe-á obrigatório (Wájib) efectuar o Tauba (perdão e arrependimento) com toda a sinceridade, abandonando de imediato esta prática devido à magnitude do pecado. É também aconselhável compensar à pessoa lesada, dependendo do caso.

    2. Lag’w
    É um juramento fútil, que é pronunciado pelo muçulmano sem contudo ter intenção para tal, como por exemplo, a pessoa que utiliza excessivamente na sua fala, palavras como Walláhi ou Balá Walláhi, etc.
    Embora não haja qualquer tipo de expiação ou pecado para este tipo de juramento, deve-se evitar ao máximo o uso excessivo do nome de ALLAH para fins fúteis.
    Um dos objectivos do juramento é convencer o próximo da veracidade das suas palavras. Caso seja possível alcançá-lo sem recorrer ao uso do sagrado nome de ALLAH, então porquê aplicá-Lo para fins fúteis?
    Certamente que esta prática deve ser evitada, caso contrário, deixar-se-á de dar o valor real que a palavra ALLAH merece, tornando-se numa mera palavra vulgar.

    3. Mun’aquidah
    Este é o juramento que é efectuado com o intuito de concretizar algum assunto no futuro, como por exemplo, pronunciar “juro por ALLAH que farei assim” ou “juro por ALLAH que jamais farei assim”. Este é o tipo de juramento, pela qual a pessoa poderá ser repreendida.
    Neste tipo de juramento, caso a pessoa não cumpra com o seu juramento, tornar-se-á pecadora e sujeita ao pagamento de Kaffarah. Se assim fizer, será absolvida do pecado.


    EXPIAÇÃO PELO JURAMENTO


    Existem quatro métodos para a expiação (Kaffarah) pelo não cumprimento do juramento, devendo-se segui-los na seguinte ordem, pois esta é a sequência referida no Al-Qur’án:
    1. Alimentar dez pessoas necessitadas, através de uma refeição considerada média e suficiente para satisfazê-las. Poder-se-á alimentar em conjunto ou individualmente, seja de dia ou de noite;
    2. Providenciar vestuário que seja suficiente para o Salát, i.é, que sirva para cobrir o Satr (partes necessárias a serem cobertas no Salát) da pessoa. Para o caso da mulher, dever-se-á providenciar o vestuário para o corpo todo, incluindo a cobertura total dos cabelos, pois isto é o requisito mínimo para ela;
    3. Libertar um escravo muçulmano;
    4. Jejuar três dias e de preferência consecutivos, caso contrário, poderão ser alternativos.


    JURAR PELO AL-QUR’ÁN


    Se alguém jurar pelo Al-Qur’án, assim como tem sido hábito de muitas pessoas dizerem “Imanti Qur’án Sharif”, e se a intenção for de estar a jurar pelas palavras de ALLAH, então esse juramento será considerado válido e terá que ser cumprido; caso contrário, a pessoa terá que pagar a expiação, conforme atrás mencionado.
    Em geral, todos os Imámes consideram-no um juramento realizado [vide Al-Mugni], pois ele é feito com o uso de palavras eternas de ALLAH.
    Sayidina Qatádah (RTA) costumava jurar pelo Al-Qur’án, e é sabido que a pessoa quando jura, não tem intenção de estar a fazê-lo apenas pelas folhas do Al-Qur’án ou pela encadernação em si, mas por aquilo que se encontra escrito nele, que são palavras Divinas.




    Após. este artigo, fica cada um de nós habilitado para tirar conclusões sobre juramentos tais como: jurar pela bandeira, jurar pela Bíblia (que consiste numa compilação adulterada dos escritos revelados divinamente: Torah. Salmos e Evangelho; e onde encontramos entre verdades também mentiras e calúnias contra servos piedosos e Profetas de Allah); entre outros juramentos.

Share This Page